segunda-feira, 15 de junho de 2009

24 Horas de Le Mans - Final

Equipa de Pedro Lamy em glória

DOBRADINHA NA VITÓRIA DA PEUGEOT TOTAL
EM LE MANS


A Equipa Peugeot Total acaba de sagrar-se vencedora das 24 Horas de Le Mans de 2009. Após umas longas 24 horas, repletas de emoção e expectativa, os Peugeot 908 HDi afirmaram a sua supremacia e dominaram do primeiro ao último minuto aquela que é considerada a mais bela e exigente corrida automóvel do mundo. Hoje, num momento histórico para a Marca do Leão, a Equipa desafiadora levou a melhor sobre a Audi, os vencedores das últimas cinco edições da prova.


Ao soarem as 15 horas no Circuito de La Sarthe, exactamente 5.206 km e 382 voltas após a partida, o carro 908 HDi Nº. 9, com Marc Gene ao volante (Alexander Wurtz/David Brabham), cortou a linha de meta e cumpriu o sonho perseguido pela Peugeot há três anos (e a alegria de muitos franceses): vencer de novo a lendária corrida de Le Mans.

16 anos após a vitória conseguida pelo 905, a Peugeot voltou assim a inscrever o seu nome na prova que todos os pilotos e marcas desejam ter no palmarés. E fê lo de forma particularmente brilhante, com uma ‘dobradinha’, já que o 908 HDi FAP Nº. 8, da equipa Sarrazin/Montagny/Bourdais, cortou a meta em segundo lugar, a uma volta dos companheiros.

Dando prova de grande maturidade e fiabilidade, os três Peugeot oficiais terminaram a prova. O 908 Nº. 7 (Lamy/Minassian/Klien) chegou ao fim na sexta posição, com 356 voltas ao circuito.

Nesta edição de Le Mans, os quatro 908 HDi FAP (três oficiais e um privado) não perderam tempo a revelar a sua competitividade, qualificando-se nos cinco primeiros lugares da partida, no sábado. Na prova, o Peugeot Nº. 8 dominou sensivelmente as primeiras seis horas e esteve 105 voltas à frente, antes de ceder a liderança aos companheiros do Nº. 9, devido a uma paragem na ‘box’ para substituir o semi-eixo traseiro esquerdo. A partir desse momento, por volta das 20h50, o Nº. 9 da Peugeot não mais largou a dianteira da corrida. À noite ainda se assistiu a um ataque da equipa mais rápida da Audi, mas que se revelou infrutífero. Sucessivamente Wurtz, Gene e Brabham impuseram o ritmo e cimentaram o domínio do Nº. 9 ao longo de 270 voltas até ao final.

A Peugeot conquistou assim a terceira vitória em Le Mans, depois do 905 ter ganho em 1992 e 1993. Desta vez venceu um protótipo diesel.

Sonho português adiado

Pedro Lamy tinha este ano fortes possibilidades de vencer as 24 Horas de Le Mans, ao volante do 908 Nº. 8 partilhado com Minassian e Klien, e Lamy ainda surgiu dominador na fase inicial, ao subir ao segundo lugar logo na 2ª volta e ajudar o líder a impor o ritmo que mais interessava à equipa. Mas o incidente de ontem à tarde na ‘box’ atirou a formação para o 51º. lugar, o que os levou a protagonizar uma recuperação notável até ao 6º posto final.

Primeiro, Minassian, e depois Klien e Lamy foram, em cada turno, dos pilotos mais rápidos em Le Mans. Uma recuperação que apenas não chegou ao top five porque a máquina se debateu, durante a noite, com alguns problemas e paragens mais prolongadas na ‘box’.

Olivier Quesnel: “Até assumir a Direcção desta equipa tinha uma imagem errada da Peugeot Sport. Rapidamente percebi que esta é uma equipa muito forte e sólida. Há 3 anos que a equipa persegue este sonho de vencer Le Mans e conseguiu-o hoje, pelo que sinto um grande orgulho em estar aqui. A corrida não esteve isenta de problemas para os carros Nº. 7 e 8, mas o Nº. 9 não teve qualquer problema e fez uma excelente prova. Hoje ao amanhecer, quando o nº 8 estava a atacar muito e a aproximar-se do nº. 9, reuni com as três formações e pedi apenas para ninguém correr riscos desnecessários. Vencemos com uma dobradinha, da qual toda a equipa sente enorme orgulho e está de parabéns!”

Pedro Lamy: “Agora que a corrida acabou fica, acima de tudo, o sabor da vitória da Peugeot. É neste projecto que estou envolvido, sinto que contribuí e que faço parte da vitória da Equipa, apesar de não ter sido o meu carro que ganhou. Penso que à partida tinha grandes possibilidades de vencer, mas os problemas que tivemos fizeram-nos perder muito tempo. O mais importante é que se concretizou o sonho da Peugeot de regressar às vitórias em Le Mans.”

CLASSIFICAÇÃO FINAL
1. M. Gene/A. Wurz/D. Brabham (Peugeot) 382 voltas
2. S. Sarrazin/F. Montagny/S. Bourdais (Peugeot) a 1 volta
3. R. Capello/T. Kristensen/A. McNish (Audi) a 6 voltas
4. J. Charouz/T. Enge/S. Mucke (Lola Aston Martin) a 9 voltas
5. O. Panis/N. Lapierre/S. Ayari (Oreca AIM) a 12 voltas
6. N. Minassian/P. LAMY/C. Klien (Peugeot) a 13 voltas

Sem comentários: