segunda-feira, 23 de março de 2009

Tata lança automóvel mais barato do mundo

O mega-grupo indiano Tata vai lançar hoje no mercado o automóvel mais barato do mundo, o Nano, que custará 100.000 rupias (1.460 euros), destinado às classes médias emergentes naquela florescente economia, apesar da crise mundial.

O automóvel será apresentado às 16:30 locais (11:00 de Lisboa) em Bombaim por Ratan Tata, presidente do grupo, prevendo-se a chegada aos concessionários em Abril.

Apesar do seu preço de lançamento, prevê-se que o Nano possa ser lançado na Europa, em 2010 ou 2011, ao preço mínimo de 5.000 euros (sem contar com os impostos nacionais diferenciados), tendo em conta os equipamentos obrigatórios exigidos pelas normas de segurança e de anti-poluição, segundo explicou Tata, no início de Março, no Sala Automóvel de Genebra.

A Tata aposta prioritariamente, no entanto, nos milhões de lares indianos da burguesia urbana e das famílias que anseiam por deixarem de se deslocar sobre duas rodas.

"Tenho observado as famílias que viajam sobre duas rodas", explicou Tata no ano passado. "O pai ao guiador de uma scooter, o filho sentado ao colo, a mãe agarrada atrás, segurando o bebé. Perguntei-me como conceber um meio de transporte seguro, acessível e para todos os climas."

De momento, só se prevê que venham a ser construídos entre 30.000 a 50.000 veículos este ano, ao contrário dos 250.000 anuais desejados, em virtude dos obstáculos encontrados pela Tata Motors no arranque da produção.

Em Outubro, o maior grupo automóvel indiano teve de abandonar a fábrica do Nano quase pronta no Estado de Bengala (leste) e construir uma outra em Gujarat (oeste).

Depois de ter investido cerca de 350 milhões de dólares (255 milhões de euros), a Tata foi afastada de Bengala por manifestações de camponeses, apoiados por partidos políticos regionais, que protestavam contra e expropriação de terras para se erigir a zona industrial.

Revelado ao mundo inteiro em Janeiro de 2008, o Nano devia rolar nas estradas no Outono passado, com um motor de 624 cm3, sem climatização, vidros eléctricos ou direcção assistida.

Mas a nova fábrica em Gujarat não estará pronta antes do final do ano e depois ainda serão precisos meses para atingir a velocidade de cruzeiro na produção, reconheceu a Tata Motors, que tem estado a montar os primeiros exemplares noutras unidades.

Sem comentários: