quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

207 CC – Sob um tecto de emoções

Ao longo da sua história, a Peugeot ofereceu sempre aos seus clientes o prazer de uma abertura para o sol ou para as estrelas. Assim, na série dos “2”, os 201, 202, 203, 204, 205 souberam oferecer aos aficionados pelo ar puro uma versão descapotável em lona.

Pioneira, já nos anos 30, a Peugeot permitiu, nessa altura, a alguns privilegiados desfrutar de um prazer inédito com o conceito de coupécabriolet 401, 601 e 402 “Eclipse”, cujo princípio inovador ficaria gravado nos genes da Marca.
No final de 2000, o 206 CC concretizou fielmente a promessa do conceptcar 20©, de 1998, oferecendo aos seus proprietários um duplo prazer automóvel a um preço acessível:
- um cabriolet 100% cabriolet, verdadeira arte de viver em osmose com o ambiente
- um coupé 100% coupé, consagrando o dinamismo e o conforto…oferecendo, ao mesmo tempo, ao cabriolet um tecto rígido apto a preservar a sua integridade ao longo das estações.
Esta proeza técnica, industrial e económica fez literalmente explodir o mercado dos “automóveis prazer”, do qual os coupés-cabriolets são uma componente em plena expansão – o mercado europeu dos coupéscabriolets cresceu 900% entre 2000 e 2005, aproximando-se das 150.000 unidades.
A Peugeot multiplicou as suas vantagens e afirmou-se como o primeiro fabricante destas silhuetas com uma dupla oferta, ao totalizar actualmente mais de 500.000 exemplares:

- o 206 CC, com a sua arquitectura 2+2, anima o “segmento B” desde 2000. Com mais de 360.000 unidades produzidas, o 206 CC é o coupé cabriolet mais vendido no mundo.
- no “segmento M1”, o elegante 307 CC oferece quatro verdadeiros lugares e já seduziu, desde o seu lançamento em 2003, 150.000 proprietários.

207 CC – a especialização ao serviço de uma personalidade muito vincada…

Se o 207 CC se integra na perfeição nos valores da Peugeot e partilha os seus aspectos essenciais com a berlina 207, ao mesmo tempo combina com uma certa insolência qualidades raramente encontradas nos coupés cabriolets
a este nível de gama, autenticando um “savoir-faire” que faz realmente a diferença:

- um estilo equilibrado e distinto;
- prestações de alto nível em termos de segurança passiva, rigidez e conforto;
- um carácter dinâmico, a condizer com um comportamento em estrada eficaz.

… e outras tantas promessas de prazer a desfrutar…

Sem comentários: