sexta-feira, 29 de junho de 2007

Audi Q3: E agora o SUV coupé

Um palmo mais comprido do que um A3, o estudo Cross Coupé Quattro revelado pela Audi no Salão de Shangai confirma a intenção da marca alemã de ampliar a “família” Q. Fica por saber se ao Q7 se seguirá o Q3, com base no estudo agora revelado e que poderá surgir nos mercados em 2009, ou se, ainda antes, conforme alguns rumores, chegará o Q5, que recebe a plataforma do novo A5 que lhe mostramos nesta edição.
Mas se o Cross Coupé não responde a esta dúvida, ele esclarece muita coisa a respeito das intenções da Audi para a sua gama de SUV’s. Desde logo que, enquanto o Q7 e o Q5 terão uma vocação mais familiar, o Q3 promete inserir-se na futura geração A3 e assumir uma vocação mais jovem e dinâmica. E basta olhar para as principais opções estilísticas para percebermos essa postura mais desportiva: grelha volumosa como os restantes Audi, faróis mais estilizados (com tecnologia Led) e, sobretudo, um pilar traseiro bastante inclinado.

Partilhada com o “primo” VW Tiguan, a plataforma do Q3 tem uma distância entre eixos de 2,6 metros, para um comprimento total do carro da ordem dos 4,4 metros e uma largura de 1,82 metros, para possibilitar um habitáculo espaçoso. Além de novas funcionalidades para o sistema MMI, como a possibilidade de recebermos e-mails, refira-se, ainda, a particularidade de 4600 micro-orifícios no tablier substituírem as tradicionais saidas do ar condicionado, assegurando uma perfeita distribuição da temperatura escolhida.

Já do lado da mecânica, o Cross Coupé volta a recorrer à transmissão integral permanente Quattro, com distribuição variável do binário entre os eixos, bem como à caixa automática DSG. A novidade é a presença de um novo motor turbodiesel de 2.0 litros mas com tecnologia “common-rail” (e não injector-bomba), que anuncia nada menos do que 204 CV e 400 Nm de binário, valores que o colocam entre o melhor que se anuncia. Por outro lado, além de um novo filtro de partículas este novo motor recorre à tecnologia Bluetec, apresentando valores de emissões poluentes que respeitam já as normas que só entrarão em vigor após 2012.


in Turbo

Chevrolet Beat

O gigante General Motors vai levar ainda mais a sério o mercado dos pequenos carros.
O Chevrolet Beat é o elemento do grupo é o que melhor encaixa no conceito tradicional dos pequenos citadinos europeus.

É o mais desportivo, com três portas, faróis muito rasgados e linhas visuais de ângulos mais agressivos. Para este conceito a Chevrolet avança com um motor 1.2 turbo a gasolina, que transmite potência para as rodas dianteiras através de uma caixa automática. No habitáculo este é também o mais apetrechado a nível tecnológico, incluindo sistema de navegação e áudio de qualidade mais elevada.

Corvette: À prova de alemães

O Corvette vai receber reforços em 2008 para fazer frente à performance dos ídolos alemães Audi R8 e Porsche 911 GT3. Surgirá apenas retocado na aparência mas com um novo motor V8 LS3 de 6,2 litros (o anterior tinha 6,0 litros), agora a debitar 430 CV e 586 Nm e capaz de um arranque dos zero aos cem em apenas 4,3 segundos.

O aumento de cilindrada do motor foi obtido através do incremento de diâmetro dos êmbolos, mantendo-se o curso. As válvulas de admissão também cresceram, assim como o respectivo curso de abertura, com efeitos óbvios na respiração do motor e consequente aumento de potência.

Entre os equipamentos opcionais mais apelativos está um escape “dual mode”, que reduz o ruído e aumenta a potência para os 436 CV. Se este número ainda não for suficiente basta optar pela versão Z06 com um V8 7.0 de 513 CV!
Os novos Corvette passam a distinguir-se pelas novas jantes de alumínio, duas novas cores exteriores (azul e vermelho metalizados), novos acabamentos e equipamentos interiores, que incluem sistema de acesso sem chave, novas aplicações em alumínio, novas cores de revestimento em pele (opcional) e sistema de som OnStar e XM Satellite de série em toda a gama.

Houve ainda um aperfeiçoamento no “feeling” de manuseamento das caixas de seis velocidades e também no hardware da caixa automática, para permitir passagens mais rápidas. Quem pretender uma condução mais desportiva poderá optar por um diferencial de relação mais curta (2.73) no caso da transmissão automática. Outra possibilidade de melhorar o comportamento desportivo é optando pela suspensão MSRC (Magnetic Selective Ride Control), com amortecedores activos por controlo electromagnético do fluido.

in Turbo

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Nissan Qashqai

O factor emocional desempenha um papel cada vez mais importante na decisão de compra de um automóvel. Com base neste princípio, a Nissan desenvolveu o Qashqai para o segmento C (do Opel Astra, Renault Mégane e VW Golf). No fundo, é uma espécie de SUV – a imagem e a distância ao solo (200 mm) são as de um todo-o-terreno de reduzidas dimensões – mas com as características (de interior e dinâmicas) de um pequeno familiar. A acompanhar tal ousadia surge o motor 1.5 dCi de 106 CV, fruto da parceria com a Renault, que, embora não seja o ideal, coloca o Qashqai entre os mais potentes da classe e com uma atractiva relação preço/equipamento. Só o futuro dirá se esta aposta resulta. Entretanto, as vendas superaram largamente as expectativas iniciais, quer em Portugal quer no resto da Europa, provando que o Qashqai reúne todas as condições para abanar a hegemonia de uma classe demasiado conservadora.

O Nissan Qashqai é um bom exemplo de que nem tudo o que é diferente ou exclusivo deve ser mais caro. Proposto com um preço de 27.084 euros (mais 3.000 euros que a versão base Visia), este 1.5 dCi Acenta apresenta um leque de equipamento tal que, além de justificar plenamente o esforço financeiro em relação à versão de entrada, o coloca numa posição privilegiada face aos seus concorrentes.
De igual forma, também os custos de manutenção são valorizados por um período de revisões a cada 60 mil quilómetros ou dois anos. Sem alterações face aos outros modelos da marca estão os planos de garantias: três anos ou 100 mil quilómetros de cobertura geral e três e doze anos para a pintura e corrosão, respectivamente.
Por fim, os consumos. Não se pode dizer que o Qashqai seja o carro mais económico do segmento, porém, os 6,3 litros (contra 5,4 litros anunciados pela marca) por nós registados acabam por ser um valor simpático e permitem percorrer cerca de mil quilómetros com um depósito.

in Turbo

Alfa Romeo 8C Competizione

As primeiras unidades do 8C serão entregues no próximo Outono. Veja o vídeo do novo desportivo de dois lugares italiano.
O primeiro protótipo foi mostrado no salão de Frankfurt de 2003, com excelente efeito junto da opinião pública. Por baixo das linhas sensuais o 8C Competizione tem genes Maserati. Foi criado pelo Polo Sportivo Alfa-Maserati, uma espécie de consórcio interno criado para zelar pela nobreza e estirpe de ambas as marcas numa produção limitada a 500 unidades, metade delas no formato Spider e outra metade no formato Coupé. A sofisticação técnica e a carroçaria monocoque em aço com painéis em fibra de carbono ajuda a empurrar o preço até aos 250 mil euros em Itália (136 mil euros antes de impostos).

O motor V8 é um desenvolvimento do 4.2 que a marca do tridente utiliza na sua gama actual, mas cresceu para os 4.7 litros e debita uns pujantes 450 CV de potência. Os níveis de performance só podiam mesmo ser extraordinários. O arranque dos zero aos 100 km/h demora apenas 4,5 segundos e a velocidade máxima vai para lá dos 300 km/h.


in Turbo

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Cuidar dos pneus do seu carro

Os pneus são provavelmente as peças mais importantes do seu carro, visto terem uma grande influência não só na condução mas também na travagem e na aceleração. Só para ter uma ideia, o contacto máximo que o pneu tem com a estrada, em cada momento, não é mais do que o tamanho da palma da sua mão.

Tipos de pneus:

Existem dois tipos de pneus que podem ser usados – pneus com recortes radiais e pneus com recortes horizontais (apesar da maioria dos carros modernos estarem apetrechados com pneus com recortes radiais). Ao mudar de pneus, verifique que são todos do mesmo tipo.

Pressão do pneus:

A pressão dos pneus deverá ser verificada semanalmente e sempre com os pneus frios.
Conduzir com os pneus com a pressão errada, faz com que o contacto entre os pneus e a estrada se torne irregular, aumentando o desgaste dos pneus principalmente durante as travagens e acelerações e a velocidades mais elevadas.
Com a pressão dos pneus abaixo da recomendada, aumenta o consumo de combustível e a poluição. A pressão acima da recomendada, reduz a aderência dos pneus à estrada, fazendo com que a condução se torne desconfortável.
Não se esqueça de verificar também o pneu suplente!!!

Os recortes:

Os recortes do pneu devem ter no mínimo 1,6 mm de profundidade. Deverá verificar se o pneu tem cortes, rasgos ou bolhas. Ao conduzir com recortes inferiores aos acima indicados poderá incorrer a uma coima.
Verifique no manual do fabricante o tipo de pneu e as pressões recomendadas.

Mudar o pneu em caso de furo:

Antes de mais retire o pneu suplente, o macaco e a "chave de porcas" da bagageira. Posicione o macaco, e afrouxe as porcas antes de elevar o carro. Eleve o carro utilizando o macaco, desaparafuse o restante e retire o pneu. Coloque o pneu suplente e aparafuse um pouco as porcas. Abaixe o carro, aparafuse o restante das porcas o mais que poder. Guarde o pneu, o macaco e a "chave de porcas".
Manda arranjar o suplente assim que possível, não vá ter o azar de ter outro furo entretanto!

Férias: Viagens e Animais!

As férias podem ser bastante mais divertidas se viajarmos com a toda a família, incluindo o cão ou gato, seja de carro, barco, comboio ou avião!

Em qualquer um destes transportes é permitido o transporte de animais de estimação, desde que devidamente acondicionados numa caixa de transporte e claro com as vacinas em dia!

Se a viajem é de carro é necessário tomar algumas precauções para que o amigo de quatro patas faça uma viagem tranquila e confortável!

Algumas dicas...

1. Deixar que o cão ou gato se habitue ao carro, levá-lo a passear, mesmo que curtas distâncias.

2. Certificar que o animal viaja de estômago vazio por causa dos enjoos. Mas atenção Parar sempre para lhe dar água fresquinha!

3. Manter a ventilação do carro fresca no banco de trás para evitar que vá com o focinho de fora, pois pode ferir-se!

4. Optar por uma confortável caixa de transporte ou por ajustar os cintos de segurança ao seu porte no caso dos cães.

5. Parar várias vezes para que os animais se exercitem e se aliviem! Aproveitar e esticar também as pernas!

Crédito Automóvel

O Crédito Automóvel permite financiar a aquisição da sua viatura para uso pessoal ou para exploração. O financiamento médio para compra de um automóvel é de cerca de cinco anos, tempo por regra, em que se pondera trocar novamente de carro.
Existem algumas modalidades de crédito automóvel, que devem ser analisadas em função do valor da prestação mensal e para compra de que tipos de viatura se destinam: Nova ou usada.

ALD - Modalidade de financiamento bastante flexível para viaturas novas que lhe permite obter uma prestação mensal mais reduzida com a compra da viatura no final do contrato. Poderá escolher uma entrada inicial até 60% com ou sem pagamento final, alterar o plano de pagamentos durante o contrato e ceder a posição contratual durante a vigência do mesmo.

Leasing - Financiamento para viaturas novas com opção de compra no final do contrato. Ao optar por esta modalidade, poderá escolher um prazo que varia entre os 12 e os 72 meses.

Crédito com Reserva de Propriedade - Crédito para aquisição de automóvel novo ou usado, ficando a viatura, desde logo, em nome do Cliente com reserva de propriedade a favor da Entidade Financeira. Poderá optar por um prazo que varia entre os 12 e os 72 meses, permitindo-lhe, deste modo, escolher a prestação que mais se adapta ao seu caso.

Reserva de Propriedade (RP) - Inibição de venda do veículo, registada na Conservatória do Registo Automóvel até à sua revogação que se verifica após o pagamento do crédito.

O leasing e o ALD têm uma expressão menor e são praticamente residuais, apesar das suas claras «vantagens financeiras». Tal prende-se com o facto dos portugueses manterem uma forte ligação ao conceito de propriedade.

Os créditos automóvel estão também a registar um aumento nos prazos de financiamento. Os mais frequentes são os empréstimos a 48 e 60 meses, mas existem já muitos casos de crédito a 72 meses e mais.

segunda-feira, 4 de junho de 2007