sexta-feira, 25 de maio de 2007

PSA Peugeot Citroën inicia o CAP 2010 - Programa Operacional de crescimento e competitividade

O Presidente da PSA Peugeot Citroën, Christian Streiff, apresentou ontem, na Assembleia Geral de Accionistas do Grupo, os primeiros planos de acção resultantes do trabalho das equipas do “CAP 2010” e anunciou que estas primeiras medidas estão agora implementadas em todo o Grupo.

Lançado a 6 de Fevereiro, o programa CAP 2010 arrancou com 10 grupos de trabalho que reúnem várias centenas de exec utivos de todas as áreas chave da Empresa. Estes grupos identificaram 150 projectos de melhoria em todas as áreas da organização e, cem dias após o seu lançamento, o projecto CAP 2010 entra agora na sua fase de desenvolvimento operacional.

As quatro prioridades anunciadas em Fevereiro traduziram-se em planos de acções para relançar o crescimento do Grupo e a sua competitividade:

- A qualidade dos produtos e serviços deve situar-se ao nível dos concorrentes
melhor posicionados. Algumas das acções lançadas envolvem um novo método de concepção, o trabalho com os fornecedores, a partilha das melhores práticas entre as Marcas Peugeot e Citroën, a reorganização e associação dos processos de após-venda. O objectivo é dividir por dois o número de incidentes e de custos de garantia até 2010.

- A redução de custos deve abranger todas as áreas:
·Redução dos custos de estrutura em 30% até 2010. O dispositivo de incentivo às saídas voluntárias para reduzir 4800 efectivos em França, em 2007, insere-se neste âmbito.

· Obtenção de ganhos suplementares sobre as compras, através da aceleração da globalização, relançamento das economias técnicas na produção em série e acções de reengenharia das viaturas, com partilha dos ganhos com os fornecedores. Estas acções conduzirão a uma melhoria da produtividade sobre as compras de 6% por ano.

· Redução dos custos de logística pela simplificação e reorganização dos fluxos a montante e a jusante.

- O plano produto será enriquecido e acelerado. Seis novos projectos de veículos juntar-se-ão ao plano produto do Grupo até ao final de 2010, graças, nomeadamente, a uma diminuição do tempo de desenvolvimento, e à aceleração entre 3 a 6 meses dos projectos já lançados. Por outro lado, o esforço de inovação centra-se sobre o que o cliente des eja e está disposto a pagar, para além das tecnologias ambientais.

- Uma nova ofensiva comercial vai permitir ao Grupo recuperar a quota de mercado perdida na Europa, com um plano de acções forte sobre o mercado alemão. As recém criadas Unidades de Negócio estão a preparar planos para acelerar o desenvolvimento na China, Brasil, Argentina e noutros mercados internacionais. Estes planos serão apresentados em Setembro.

Para completar e acompanhar este plano de acções global, serão introduzidas novas práticas de gestão no Grupo, valorizando mais a iniciativa, o espírito de equipa e a orientação para os resultados.

Christian Streiff sublinhou que “o «CAP 2010» é o resultado de um verdadeiro trabalho em equipa, baseado numa maior transversalidade, a qual permite trabalhar em conjunto sem tabus, uma maior abertura sobre o que nos ensinam os nossos clientes, fornecedores e concorrentes, e maior rapidez nas acções, com uma forte orientação para o resultado”.

quarta-feira, 23 de maio de 2007

SUBARU LEGACY 2.0R BiFUEL - Mais económico e ecológico

O Legacy 2.0R Sedan e Wagon, na nova gama da marca em Portugal, caracteriza-se pela possibilidade de utilização de dois diferentes tipos de combustível, mantendo integralmente o ADN Subaru, através da transmissão integral exclusiva AWD (All Wheel Drive), e do tradicional e desportivo prazer de condução. Ao introduzir estes novos modelos a Subaru altera drasticamente as “regras do jogo” dos motores a gasolina, mantendo a garantia geral da Marca (3 anos ou 100.000 km), possibilitando uma utilização muito mais económica (até mais 50% de economia), protegendo o ambiente (menos de 96% de NOx), continuando a proporcionar o prazer de condução que é apanágio da marca.

A Subaru apresenta estes novos modelos com o apoio da Galp Energia, que se aliou a este projecto possibilitando a oferta de 1000 litros de GPL na compra de qualquer modelo Subaru BiFuel.

Kia em 5º lugar no ranking dos automóveis mais fiáveis

Os veículos da Kia classificaram-se em 5º lugar num dos maiores estudos mundiais que investiga a qualidade e confiança de mais de 450,000 automóveis, entre os 3 e os 9 anos de vida. Mais de 82% dos proprietários de veículos Kia não reportaram qualquer defeito ou falha mecânica.

O estudo foi levado a cabo pela Warranty Direct, um organismo independente especialista em ga-rantia automóvel, que analisou a qualidade e fiabilidade de 33 construtores com base na utilização diária dos seus automóveis nos E.U.A e no Reino Unido. Os resultados do estudo estão publicados na denominada ‘Reliability League Table’ que descrimina o número de falhas mecânicas reportadas por cada 100 veículos cobertos pelas suas garantias.

A Kia classificou-se em 5º lugar com um score de 17.39%, muito perto da Toyota e da Mitsubishi batendo, inclusivamente, algumas marcas de renome como a Nissan (18.86%), a Lexus (20.05%), a Porsche (27.48%), a BMW (28.64%), a Mercedes (29.90%) e a Audi (36.74%).

terça-feira, 15 de maio de 2007

Peugeot 207 Open: Uma oportunidade única

A Peugeot acaba de alargar a oferta da berlina 207 com o lançamento da nova série especial 207 Open. Disponível até 30 de Junho, esta nova proposta joga o seu grande trunfo na relação preço/equipamento, ao propor um valor irresistível para a bolsa dos clientes: 14.900 €.

Linhas sedutoras, temperamento forte, tecnologia, equipamento recheado…, todas estas caraterísticas convivem diariamente com o Peugeot 207, que acaba de receber mais uma proposta imbatível nos seus níveis de entrada de gama.


Associado exclusivamente à carroçaria 5 portas e ao motor a gasolina 1.4 16V de 90 cv, o 207 Open possui uma vantagem de preço no valor de 1.800 euros face ao 207 Trendy, versão que serve de base a esta série especial.


Esteticamente, este 207 é identificável pela aplicação do badge exclusivo “Open” nas portas dianteiras, sendo em tudo o mais idêntico a um dos níveis mais vendidos da gama que, até ao momento, já passou as 7.500 unidades.

Este sucesso da gama 207 em Portugal assenta em trunfos emocionais como o estilo, e racionais como a qualidade de concepção, os níveis de segurança e o comportamento dinâmico.

Em particular, a motorização que equipa o 207 Open oferece um dinamismo apreciável e vale também pelos consumos reduzidos de 6,4 l/100 km em ciclo misto. Com 1.360 cm3 de cilindrada, este motor 1.4 16V desenvolve uma potência máxima de 90 cv (65 kW) a 5.250 rpm e um binário máximo de 133 Nm a 3.250 rpm.

Em termos de prestações, o 207 Open atinge a velocidade máxima de 180 km/h e leva 12,7s para acelerar dos 0 aos 100 km.

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Grupo PSA premiado com o título de Motor Internacional do ano 2007 na categoria 1.4 – 1.8


O motor a gasolina 1.6 Turbo Injecção Directa, de 4 cilindros, desenvolvido pela PSA Peugeot Citroën, em cooperação com o Grupo BMW, acaba de ser eleito o Motor Internacional do ano 2007, na categoria dos motores entre 1.4 e 1.8 l de cilindrada. Este prémio sublinha a qualidade dos motores a gasolina de nova geração da PSA Peugeot Citroën e o sucesso da estratégia de cooperações do Grupo.

Avaliado por um painel internacional de 62 reconhecidos jornalistas do sector automóvel, o prémio de Motor Internacional do Ano é um dos galardões mais desejados pelos fabricantes de automóveis. O júri estabelece a sua classificação, após testes de condução dos últimos modelos para identificar quais os motores que oferecem o maior prazer de condução, as melhores performances, o melhor controlo dos consumos e a utilização de tecnologias de ponta.

Com 71 motores em competição, a categoria mais concorrida é a dos motores com cilindradas entre 1.4 e 1.8, à semelhança dos segmentos B e M1 que continuam a crescer na Europa. O motor desenvolvido em parceria pela PSA Peugeot Citroën e o Grupo BMW foi o grande vencedor da categoria, com um total de 273 pontos. Arrecadou ainda o terceiro lugar na categoria de “Melhor Novo Motor”.

Equipando actualmente a gama 207, nas silhuetas de 3, 5 portas, Coupé Cabriolet, e o Mini Cooper S, o motor está previsto para outros modelos compactos da Peugeot e da Citroën. Inicialmente foi desenvolvido em paralelo com o bloco atmosférico 1.6 de 120 cv e integra uma família completa de motores, cujas potências irão variar entre os 90 e 175 cavalos.

Anunciada em Julho de 2002, a cooperação entre a PSA Peugeot Citroën e o Grupo BMW apoiou-se nas forças e competências de cada parceiro para resolver com sucesso a equação económica entre a introdução de tecnologias de motores avançadas em segmentos de mercado onde a pressão sobre os custos é extremamente forte.

Os componentes principais destes motores são fabricados na fábrica da PSA Peugeot Citroën em Douvrin, que beneficiou de um investimento de 330 milhões de Euros para a construção destes motores. A montagem final realiza-se em Douvrin para os modelos da Peugeot e Citroën e na fábrica da BMW de Hams Hall, na Grande Bretanha, para a MINI.

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Novas Emissões de CO2

Os carros mais vendidos podem baixar de preço em Julho, mas vamos pagar (muito) mais selo.
O preço dos automóveis novos pode descer já a 1 de Julho. Isto porque o Concelho de Ministros decidiu acabar com o Imposto Automóvel e o Imposto de Circulação (selo). Em vez destes surgirão, naquela data, o novo Imposto Sobre Veículos (ISV) pago na matriculação do carro e, em Janeiro de 2008, o novo Imposto Único de Circulação (IUC), pago na utilização do automóvel, a nível municipal. Ambas as taxas dirão apenas respeito aos carros comprados novos a partir de 1 de Julho. Com estas alterações há cerca de dez por cento (em média) da fiscalidade que passa do momento da compra para o “selo” anual, que na maior parte dos casos sobe bastante. Para além disso, transforma-se numa taxa de propriedade, já que terá que ser sempre pago mesmo que o carro fique imobilizado.O IVA, esse, continuará a ser motivo de forte polémica porque continuará a incidir sobre o imposto de aquisição (ISV), mantendo-se a dupla tributação que tem alimentado desavenças entre Bruxelas e os sucessivos governos portugueses. João Amaral Tomaz, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, afirma, porém, que a incidência de IVA decresce com estas alterações, pois a parcela de imposto transferida para a circulação não será sujeita a IVA. Assim, a equação final decresce, alegadamente, de 2 a 2,5 por cento nos impostos pagos.


in Turbo Online

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Maserati está de volta

Maserati está de volta Com um verdadeiro GT de 405 CV sucessor do Coupé.
Depois de uma transição “a medo” com modelos como o Coupé, o pontapé na monotonia já tinha sido dado com o Quattroporte, sem dúvida uma das mais belas propostas para quem pretende um carro rápido e pleno de prestígio.E não é, por isso, inocentemente que para o novo desportivo, sucessor do Coupé, a marca tenha inspirado-se no seu coupé de luxo.
Isso verifica-se, sobretudo, na frente, onde se salientam os faróis rasgados e a grelha volumosa que parece querer evocar, com orgulho, os carros de competição da década de 1950.
Destaque, ainda, para o capot volumoso e para o habitáculo bastante puxado para trás, como mandam as regras em matéria de automóveis desportivos. Uma fórmula que permite receber de braços abertos motores poderosos e alcançar uma distribuição de pesos ideal de 51 por cento no eixo traseiro e 49 por cento na frente.
Além de ganhar ao Coupé importantes centímetros no que refere ao espaço que disponibiliza , destaca-se uma ambiência interior sofisticada, em detalhes como os revestimentos em pele e as aplicações em madeira.Em termos mecânicos o novo Maserati está, igualmente, muito bem servido, já que o motor V8 de 4,2 litros com 405 CV de potência é sinónimo de prestações a condizer
in Turbo Online