terça-feira, 16 de janeiro de 2007

Novo Mini

O Mini traz-nos emoções da juventude. Gente “de uma certa idade” adora-o por isso.

O que é genial é eterno. Só isso explica que o proprietário de um Mini nem pestaneje quando lhe fazem aquela pergunta que deixaria o dono de qualquer outro automóvel à beira de um ataque de nervos: “o teu Mini é dos novos?”. É um Mini. Chega.

Percebemos, então, melhor por que é que a nova geração do Mini mudou tão pouco: os farolins traseiros são maiores, os arcos das rodas reforçam a aparência desportiva e na frente, além do novo desenho da grelha e da colocação dos piscas junto às ópticas principais, destaca-se a maior altura e largura do capot para poder albergar os novos motores. O novo Mini é seis centímetros mais comprido mas como é mais largo ninguém dá por isso.

Opel Antara

O novo SUV da Opel quer impor-se através da linha chique e do chassis eficaz.
É já a partir da Primavera que o Opel Antara pretende conquistar território ao pelotão asiático que domina o segmento europeu dos SUV compactos.
Nada disto seria de estranhar se este modelo não fosse, ele próprio, construído na Coreia e irmão do Chevrolet Captiva. Ainda assim, não lhe faltam argumentos para chamar muitas atenções. O primeiro é o aspecto, moderno e desportivo. O segundo é a mecânica, que conta com o novo motor 2.0 turbodiesel 16V common-rail de 150 CV, utilizado pelo Captiva, feito pela VM também na Coreia e à medida das exigências europeias, com filtro de partículas de série. Para se afirmar este SUV da Opel também conta com o emblema, pois será mais caro que o Captiva e só terá cinco lugares, conjugados com interiores mais requintados e muito equipamento. O preço da versão 2.0 CDTi deverá começar nos 42 mil euros.

Elegante e integral
O aspecto chique do exterior tem continuidade num habitáculo muito identificado com o Astra e o Vectra, onde se destaca um volante invulgarmente grande e uma alavanca de travão de mão em forma de argola.
Como seria de esperar, os ocupantes assumem uma postura elevada em relação ao ambiente rodoviário e não lhes falta espaço. A roda suplente está escondida no fundo da bagageira, sobrando por isso apenas 370 litros de volume para as malas, mas os bancos traseiros podem ser rebatidos de forma assimétrica, obtendo-se assim uma volumetria de 1420 litros.
Com os seus 4,57 metros de comprimento o Antara é um SUV destinado à utilização diária, que pretende ficar bem na cidade, proporcionar boa utilização em auto-estrada e permitir algumas escapadelas em pisos não asfaltados. Para esta última situação conta com uma altura ao solo de 20 cm e inclui de série o sistema inteligente de tracção integral ITCC, em que um diferencial electro-hidráulico de comando electrónico passa binário para as rodas traseiras até um limite de 50 por cento quando há perdas de motricidade.
O sistema utiliza um engate electromagnético e uma embraiagem hidráulica de discos em óleo, resultando num conjunto compacto e de reacções rápidas. Tudo se passa sem qualquer intervenção directa do condutor, que se limita a operar uma normalíssima caixa de cinco velocidades sem redutoras. Também de série é o DCS (sistema de descida controlada), que segura o Antara nas descidas íngremes em TT, mantendo-o a velocidades entre 10 e 15 km/h sem intervenção do condutor

SUZUKI SWIFT SPORT

Quem não se lembra do saudoso Swift 1.3 GTI da segunda metade dos anos 80? Numa espécie de regresso aos bons velhos tempos, a Suzuki volta à carga com o Swift Sport.
Desenvolvido com base nos ensinamentos que a marca absorveu no Campeonato do Mundo Júnior de Ralis (JWRC), este desportivo distingue-se pelo motor VVT de 1.6 litros com 125 CV, que permite uma velocidade máxima de 200 km/h e uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em pouco menos de nove segundos.
A aguentar esta energia surge um chassis com o esquema de suspensão do Swift normal (tipo MacPherson à frente e eixo de torção atrás), mas melhorado e reforçado. Os controlos de estabilidade e de tracção são de série. Na estética as novidades são os pára-choques, as ópticas dianteiras, um spoiler traseiro, duas ponteiras de escape cromadas e as jantes específicas de 17 polegadas. No interior há bancos desportivos, alguns elementos metálicos, volante em pele e pedais em aço inoxidável.
Tudo num modelo que, para além da referida tradição do nome, está bem equipado e custa 21.400 euros.
in Turbo Online

quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

Pedro Lamy é piloto Peugeot nas 24 Horas de Le Mans

O piloto português Pedro Lamy é um dos pilotos oficiais da Peugeot Sport noprograma Le Mans em 2007. A Peugeot está, assim, de regresso ao mais alto nível da competição automóvel mundial depois da retirada do WRC no final de2005.
A Pedro Lamy junta-se um plantel de luxo de mais cinco pilotos: osfranceses Nicolas Minassian, Sébastien Bourdais e Stéphane Sarrazin, oespanhol Marc Gené e o canadiano Jacques Villeneuve. O piloto Eric Hélaryserá o piloto de testes e de reserva.
Hoje foi revelado o 908 HDi FAP, que está prestes a iniciar as suasprimeiras sessões de testes e desenvolvimento. O principal ponto deencontro da temporada será nas 24 Horas de Le Mans, uma prova que a Peugeotjá venceu por duas vezes em 1992 e em 1993.
O ano de 2007 será um ano de rodagem para todos, homens e automóvel, antesde aspirar à vitória desta prestigiante corrida em 2008. A Peugeot marcará,igualmente, presença no Campeonato Le Mans Series com dois veículosinscritos em cada uma das 6 corridas, à semelhança de Le Mans.
Anunciado a 14 de Junho de 2005, o programa Le Mans da Peugeot só foiiniciado realmente após a última prova do WRC, em Novembro de 2005. Apartir daí, a equipa Peugeot Sport organizou-se para apresentar uma maquetado motor V12 HDi FAP em Junho de 2006, seguida da apresentação de umamaqueta do 908 no Salão Mundial de Paris em Setembro último.

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

O dinamismo e a eficácia ao serviço dos profissionais

O novo furgão Expert já está disponível no mercado português a partir de 20.820€. O novo Expert tem como ambição instalar novas referências no mercado dos furgões compactos, ao nível do comportamento dinâmico, conforto, segurança dos ocupantes, respeito pelo ambiente e capacidades utilitárias, que foram fortemente ampliadas relativamente à geração precedente.

Lançado no Outono de 1995, o Expert foi um dos precursores do segmento de furgões compactos (volume útil entre 4 e 7 m3). Na concepção do novo Expert foram optimizadas as qualidades que estiveram na base da reputação dos seus predecessores, entre as quais um comportamento em estrada ainda mais seguro, um conforto, uma posição de condução e equipamentos dignos de uma berlina, a par do crescimento significativo dos volumes,
capacidades de carga e comprimentos úteis.

Esta 3ª geração, desenvolvida pela PSA Peugeot Citroën em parceria com a Fiat, representa um marco para a Peugeot, graças à melhoria do nível de prestações e à maior polivalência proposta.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2007

C4 PICASSO (5 LUGARES)

Após o sucesso do lançamento do C4 Picasso (de 7 Lugares) - o Visiospace - a Citroën irá prosseguir o alargamento da sua gama de monovolumes com o lançamento, no decorrer do primeiro trimestre de 2007, de um segundo Visiospace - o C4 Picasso (de 5 lugares) - dotado de uma silhueta característica.
Este novo monovolume compacto distingue-se logo ao primeiro olhar pelo seu estilo, rico em dinamismo e sedução. Com o seu carácter bem vincado, promete prazer de condução, mantendo ao mesmo tempo as características típicas de um monovolume – uma habitabilidade e um espaço interior de referência, assim como uma posição de condução elevada – e prestações inéditas, possibilitadas pelo conceito “visionspace” – visibilidade periférica e luminosidade excepcionais, modularidade muito fácil, espaço interior desobstruído e conforto ao mais alto nível.
Dentro do mercado dos monovolumes compactos, a Citroën é o único construtor a propor três veículos com personalidades e estilos distintos.A Marca criou, assim como para as berlinas, uma verdadeira gama de monovolumes com estilos e prestações distintos, através dos compactos Xsara Picasso, C4 Picasso (5 lugares), C4 Picasso (7 lugares) e o grande monovolume C8.