sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Sensações apuradas com o 207 GT 1.6 de 150 cv

A Peugeot acaba de lançar no mercado nacional o 207 GT, de estilo desportivo exclusivo, animado pelo novo motor a gasolina 1.6 THP (*) que, do alto dos seus 150 cv, oferece performances de primeira ordem.
A versão animada por este motor de nova geração vai posicionar-se no topo de gama do 207 e está disponível por 25.295 €.
Desde o seu lançamento, em Abril de 2006, o 207 já conquistou em Portugal mais de 3.500 clientes e ascendeu ao segundo lugar do segmento B. Mês após mês, o 207 tem vindo a aumentar a sua penetração no mercado e, inclusivamente, em Outubro já foi o Utilitário mais vendido no nosso país.

O estilo felino e dinâmico, a grande riqueza de equipamentos, as ligações ao solo resultantes de conhecimentos reconhecidos, um conteúdo de segurança sólido… e uma vasta gama, capaz de responder às expectativas dos mais diversos clientes, são os factores chave do seu sucesso.

Agora, o 207 recebe esta nova motorização a gasolina, fruto da parceria entre a PSA Peugeot Citroën e o Grupo BMW, que inaugura uma nova família de motorizações a gasolina turbo com injecção directa de alta pressão, sob a designação de THP (*Turbo High Pressure).

Este motor de nova geração está dotado de tecnologias topo de gama, que lhe permitem oferecer performances e uma agilidade de primeira ordem, numa gama de utilização muito alargada. A somar às suas prestações dinâmicas dignas de registo, a nova motorização do 207 consegue consumos e emissões de CO2 muito favoráveis.

Em Portugal, o 1.6 THP 16v 150 cv equipa exclusivamente o nível GT e está disponível, para já, na versão de 3 portas.


O novo motor 1.6 THP 16V de 150 CV

Este motor EP6DT é um 4 cilindros de 1.598 cm3 com uma potência máxima de 150 cv (110 kW) a 5.800 rpm. É equipado com uma cabeça de dezasseis válvulas e com duas árvores de cames à cabeça.

A escolha técnica de um quatro cilindros 1.6 impôs-se pelo facto de os pequenos motores turbo comprimidos, dotados de uma potência específica elevada, oferecerem uma vantagem significativa em termos de consumo por comparação com os motores atmosféricos convencionais de cilindrada mais elevada. Esta estratégia de downsizing é, aliás, comparável à que tem lugar no domínio dos diesel HDi da Marca.

Neste motor, o cuidado dispensado ao desenvolvimento do binário e ao tempo de resposta permite atingir 156 Nm a partir de 1.000 rpm. O binário máximo de 240 Nm é atingido apenas a 1.400 rpm, valor que permanece inalterado até às 3.500 rpm. Além disso, fica disponível uma vasta gama de utilização, já que a 5.000 rpm o binário é ainda de 208 Nm.